A Família como Instrumento de Estabilidade

Que diferença faz a família? Que impacto produz na vida de um indivíduo? Esta é uma pergunta que Richard L. Dugdale acabou fazendo a si mesmo em 1874. Como membro do comitê executivo da associação de prisões de Nova York, optou por inspecionar treze cadeias públicas no estado. Quando chegou a um condado em particular, ficou surpreso ao descobrir que seis pessoas de uma mesma família estava na mesma cela. Elas foram presas por uma variedade de crimes, incluindo furto, tentativa de estupro e de assassinato. Quando Dugdale falou com o xerife do condado e um médico local, de 84 anos, descobriu que a família estava na região desde que o estado de Nova York fora estabelecido, e os membros eram conhecidos por seu comportamento criminoso.

A Família como Instrumento de Estabilidade

A Família como Instrumento de Estabilidade.

Dugdale estava intrigado e decidiu estudar a família e publicar suas descobertas, usando o nome fictício “Jukes” para descrevê-los. Ele desenhou a árvore genealógica até chegar a um homem chamado Max, nascido entre 1720 e 1740. Ele teve seis filhas e dois filhos. Alguns de seus filhos nasceram fora do casamento. Ele era alcoólatra e, até onde se sabe, não gostava muito de trabalhar.

Dugdale estimou em 1,2 mil o número de pessoas que a família abrangia, mas ele só tinha condições de estudar 709 delas. Em 1877, ele publicou suas descobertas em [Os Jukes: Um estudo sobre o crime, a miséria, a doença e a hereditariedade]. Ele descobriu que a família apresentava um padrão de criminalidade, prostituição e miséria que desafiava as médias estatísticas:

180 eram muito pobres (25%)
140 eram criminosos (20%)
60 praticavam roubos habitualmente (8,5%)
50 eram prostitutas comuns (7%)

A reputação era tão ruim, de acordo com Dugdale, que o nome da família passou a ser usado genericamente como uma forma de ofensa? O dono de uma fábrica da região costumava manter uma lista com os nomes de todos os membros da família Jukes em seu escritório para assegurar-se de que nenhum deles viesse a ser contratado.

 

PORQUE A FAMÍLIA É TÃO IMPORTANTE PARA O DIA DE HOJE?

As famílias de algumas pessoas não as ajudam a crescer; pelo contrário, as puxam para baixo. O grande romancista norte-americano Mark Twain dizia que gastara uma grande quantia para desenhar a sua árvore genealógica, e então gastara duas vezes mais tentando manter seus ancestrais no anonimato!

É verdade que você não pode fazer nada par mudar seus ancestrais ou a educação que eles lhe deram. Você não tem nenhum controle sobre o que seus pais ou avós fizeram, ou como eles o trataram. Mas se você não pode fazer muito a respeito de seus ancestrais, pode influenciar seus descendentes grandemente. Você determina como trata sua família. Você é a pessoa que decide se deve ficar para resolver os problemas ou abandonar sua família quando as coisas complicam.